Não podemos deixar de noticiar e dar o justo realce ao que tem vindo a acontecer, dentro do contexto do uso e abuso dos media em relação às suas contratações de entretenimento televisivo.

Neste caso falaremos da associação teatral Três Irmãos, foram contactados pela própria produção do programa ” Olhó Baião ” que passa na Sic aos domingos, porque iam dedicar uma parte do programa às feiras medievais. Foi então nos ajustes que nada se pôde ajustar: é impossível chegar a um acordo, muito menos aceitá-lo quando põe em causa a integridade, o profissionalismo, a dedicação de alguém (neste caso o grupo) e se perde o respeito pela importância do trabalho que desempenha. O cachet não chegou a ser conversado ou considerado, as tais ” condições impostas ” essas estão camufladas por um discurso promocional barato e brejeiro. Vendem a ilusão da projecção que dão ao mundo de todo um trabalho realizado por outros mas que lhes fique ao preço de uma esmola!.

Replicamos aqui o texto publicado na sua página de facebook.

Três Irmãos· 11 de julho 2020 “in Facebook” ·  Nunca fomos muito de nos manifestar, mas há situações que nos obrigam a rasgar o silêncio…esta é uma delas!

Na passada segunda feira, dia 6 de Junho fomos contactados pela produção do programa “Olhó Baião”, que consta na programação domingueira da Sic. A pessoa em questão era bastante afável, disse-nos que no dito programa iam dedicar uma parte às feiras medievais, nesse sentido, após alguma pesquisa depararam-se com o nosso grupo e gostavam que nele fizéssemos parte, pediam que fizéssemos alguns “gags” cómicos no decorrer do programa. “Que bom!” foi o nosso primeiro pensamento, mal sabíamos que íamos acabar o dia a achar o oposto, mas já lá vamos.

Após confirmarmos a nossa disponibilidade o passo natural que se segue é o de falar de números, pois se somos convidados para executar um trabalho o seguinte passo lógico é discutir o cachet. “Normalmente não temos cachet para estas participações, mas vou falar com a produção para ver que verbas temos disponíveis”, foi a resposta que obtive do outro lado, não perguntaram qual era o nosso valor, achei estranho. Alguns minutos depois recebi a mensagem decisiva, aquela que ditaria a nossa presença, ou não, no “Olhó Baião”.

Dizia o seguinte e transcrevo:
“Diogo, entretanto estive a falar com a produção sobre o valor. Será possível para vos por 120 euros + deslocação? Muito obrigada!”

Esperançoso, perguntei se aquele valor era por pessoa, pois o nosso cachet por três actores ronda três vezes esse valor…

O valor era pelo grupo… PELO GRUPO!!!

Quando referi o nosso cachet, a resposta foi a seguinte:

“Era pelo grupo, Diogo. Tendo em conta o nosso orçamento, esse valor não conseguimos mesmo suportar. Ainda assim, agradeço a vossa disponibilidade, mas teremos então de procurar outras alternativas.” (enganar outros não?)

A SIC queria pagar 40€ por cada profissional para passarmos uma tarde a trabalhar para eles fora ainda o tempo de preparação dos “gags” para incluir no contexto do programa! Sic feia!! Sic má!!

Assim como foi connosco, foi também com outros grupos que conhecemos, a mesma proposta, os mesmos valores! Uns disseram “Claro que não!” como nós, outros possivelmente disseram que sim e é isso que não pode ser.

A SIC com os seus programas estende estes convites com o rótulo do “vai ser bom para vocês”, é “divulgação”, “vejam como uma oportunidade” ….
Pois bem, o “bom para nós” é sermos pagos pelo trabalho como qualquer trabalhador!
A “divulgação” que precisamos é feita através da qualidade nosso trabalho e nas nossas redes sociais!
Estas “oportunidades” não passam de uma tentativa de preencher a baixo custo as lacunas culturais de programas com a criatividade de uma palmeira e com o mesmo conteúdo que um altar do séc XVII, é coberto a ouro mas por dentro a madeira está podre e a precisar de restauro!

Não devemos, atrevo-me até a dizer que não podemos ser coniventes com estas práticas de escravatura dos media! A televisão sabe o poder que tem, como tal, usa esse poder para nos atrair com redes douradas, mas esse truque funciona apenas enquanto existir quem o aceite.

Nós, os grupos que trabalham na recriação histórica, em teatro, música dança, circo, que fazemos da mais pequena pedra um palco para todos, somos profissionais!!! Seja por formação, experiência ou pelo trabalho árduo que colocamos naquilo que fazemos, somos profissionais!!!

Como é que um canal, que devia promover e difundir a cultura se atreve a pedir a profissionais das mais diversas áreas do espetáculo que trabalhem em troca de “aparecer”! Isso é menos que digno, isso é um pedido escroto de quem tem o poder de ajudar e apoiar os agentes culturais nesta altura de maior dificuldade e que prefere não o fazer, sabemos bem onde podem enfiar a resposta de “não temos dinheiro”.

Se algum dia este manifesto chegar aos olhos ou ouvidos do Sr. João Baião pergunto:

– Sente orgulho ao dar nome e cara a um programa que faz isto a profissionais que podiam ser seus colegas??
– Sabe de algo em relação a isto?
– Conhece esta realidade?
– Ou é mais um que finge não ver?

O que pedimos não é uma esmola, é respeito pelo nosso trabalho!

O que fazem não é criar oportunidades, é mesmo exploração!

Por isso repito! “Sic feia!” “Sic má”!

Associação Teatral Três Irmãos

—- —- —-

update :O programa em questão foi transmitido hoje no dia 12/07/2020

Nota da EmCadeamentos: A associação teatral “Três Irmãos” é um dos melhores grupos animadores de sketch’s em diversos registos. A EmCadeamentos partilha e divulga esta mensagem de “desabafo” de forma a mostrar a realidade dos nossos actores e animadores. Estamos solidários e partilhamos a opinião. Muita força a todos que se esforçam e dão o que podem para manter os níveis de qualidade desejada.


Um abraço aos “Três Irmãos”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *